segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

A Primeira e a Última

Mapa da expansão ferroviária em direção ao interior: Presidente Epitácio (Porto Tibiriçá) foi a última cidade a ser fundada na divisa entre São e Mato Grosso do Sul.

O pionerismo paulista é provavelmente uma das mais importantes epopéias registradas nos arquivos da história brasileira. E foram três os momentos do ímpeto conquistador que impulsionou a marcha de ocupação territoral que daria origem ao mais rico e próspero estado da federação.

O primeiro aconteceu na colonização mercantil do século XVI, com a formação das Capitanias Hereditárias, na qual o engenho vicentino de Martim Afonso foi o modelo empreendedor.

O segundo, já no século XIX, foi marcado pela expansão cafeeira, inicialmente na direção da Serra da Mantiqueira e posteriormente para o meio oeste , na grande região de Campinas e Ribeirão Preto.

E finalmente, na primeira metade do século XX, através da implantação da enorme malha ferroviária rumo ao extremo oeste, espalhando estações e grandes contigentes humanos em busca de trabalho e do sonho de felicidade.

Primeiro os caminhos de terra e água e depois os trilhos de ferro, do litoral vicentino até às margens do rio Paraná, de olho no infinito sertão.

Portanto, o Porto Tibiriçá (atual Presidente Epitácio), semelhante a São Vicente, é a “cellula-mater” do extremo-oeste paulista e do Pontal do Paranapanema. Muito antes que as principais cidades da região fossem fundadas e adquirissem o status de vila, distrito ou municipalidade, Tibiriçá e a Estrada Boiadeira se organizavam como estabelecimentos empresariais e fatores e sócio-econômicos que estimulariam as futuras instituições políticas da Alta Sorocabana.

O autor desse evento histórico de 1907, que deu origem ao município de Presidente Epitácio, foi o Capitão Francisco Whitaker. Este, com o auxílio de 25 homens, partiu da região de Piracicaba em batelões pelos rios Tietê e Paraná realizando o mesmo trajeto das bandeiras e monções. Whitaker cumpria uma das metas da Diederichsen & Tibiriçá, futura Companhia de Viação São Paulo - Mato Grosso, para estabelecer um ponto de comunicação viária entre os dois estados e concluir as obras da Estrada Boiadeira, sua principal base de negócios na região. O porto recebeu o nome do médico Francisco Tibiriçá, sócio da empreitada - afastado dos trabalhos de expansão por uma enfermidade -, e primo do então governador do estado, Jorge Tibiriçá Piratininga.


Um mapa do final do século XIX mostra o Oeste Paulista na área verde como "terrenos despovoados "


Detalhe da Capitania de São Vicente doada a Martim Afonso de Souza no século XVI

Nenhum comentário: